TUBOS COLORIMÉTRICOS GASTEC

  

 Composição e Fabricação dos Tubos Colorimétricos

Os tubos colorimétricos GASTEC tornaram-se referência mundial para análise de gases e vapores.

São fabricados pela GASTEC, empresa mundialmente conhecida, de sólida reputação, especializada na produção de tubos detectores, dispositivos para detecção de gases, equipamentos de amostragem e sistemas de geração de gases de calibração.

Os tubos colorimétricos são compostos por uma ampola de vidro, possuem superfície sólida, com área de superfície capaz de efetuar a adesão de moléculas insolúveis dispersas em um meio líquido ou gasoso.

Os tubos são tratados quimicamente, e com o uso da bomba GASTEC GV-100S, o ar é puxado e a reação do agente é promovida, em uma até oito camadas de reação. Com isso a coloração do tubo muda, variando conforme a escala de concentração demarcada no próprio tubo.

Com a bomba GV-100S, o avaliador é capaz medir mais de 600 gases, sendo que uma caixa de tubo tem durabilidade garantida, de até 3 anos, seguindo as recomendações de armazenamento, e não necessitando de calibrações periódicas.

Características dos Tubos Colorimétricos

A leitura de amostragem dos tubos colorimétricos é instantânea, perfeitamente visível e legível, demonstrando diretamente a concentração do agente químico em estudo. Poucos segundos são suficientes para se alcançar o resultado almejado.

Os tubos são de fácil manipulação, bem como a bomba GV100S. As medições podem ser realizadas facilmente por qualquer pessoa, a qualquer hora e em qualquer lugar, em pouco tempo.

Os tubos apresentam escalas variadas, ampla faixa de medição pode ser obtida ajustando o volume de amostragem na bomba. Por exemplo para o agente benzeno, é possível captar até 0,005 partículas por bilhão (ppb).

Todos os tubos possuem rastreabilidade. Cada tubo detector possui seu próprio número de controle de qualidade impresso no tubo.

Cada lote de produção é testado e calibrado de forma independente, garantindo alta precisão.

Tubos colorimétricos são os mais indicados para amostragens de curto prazo, porém existem tubos especiais para amostragens de até 12 horas.

São úteis para amostragens de valores TLV-C ou TETO, para comparação dos limites estipulados e tomadas rápidas de decisões.

Tempo, deslocamento e custo de laboratório eliminado.

Redução intrínseca de custos. Os valores das análises químicas com tubos colorimétricos são infinitesimalmente menores quando comparados às análises laboratoriais.

O custo de um equipamento cromatógrafo gasoso inviabiliza avaliações periódicas.

Cabe ressaltar que para alguns determinados agentes químicos, nem os laboratórios possuem metodologias analíticas para avaliação.

Tubos colorimétricos são mais precisos do que células eletroquímicas e células eletrolíticas, e tão precisos quanto o cromatógrafo.

Traduzem resultados imediatos, sem as incertezas totais acumuladas que uma avaliação convencional apresenta, desde a incerteza do cromatógrafo, a incerteza da bomba de laboratório que calibra a bomba de amostragem, as mangueiras utilizadas, o tipo de cassete utilizado, etc. Os tubos colorimétricos podem ser utilizados para liberação de áreas, exemplo em espaços confinados, ou até mesmo em situações de acidentes que decorrem em investigação de agentes explosivos e inflamáveis presentes, reduzindo tempo e mitigando a severidade do risco.

Através da avaliação in loco, o analisador poderá definir a melhor estratégia de amostragem, assim verifica a presença e a concentração imediata do agente no ambiente.

Os tubos irão promover amostragens semi quantitativas, sempre com excelente aproximação da concentração do agente.

Com isso será possível comparar os Limites de Tolerância estipulados pela Norma Americana ACGIH - American Conference of Governmental Industrial Hygienists, e auxiliar na tomada de decisões e medidas de controle a serem implantadas.

A ACGIH é uma associação profissional, instituição privada não governamental, sem fins lucrativos, constituída por membros higienistas ocupacionais e outros profissionais de segurança e saúde, voltada à promoção da saúde ocupacional e ambiental.

Na condição de entidade científica, conta com comitês que analisam e compilam dados publicados na literatura científica.

Tubos colorimétricos possuem vida útil longa com excelente estabilidade a longo prazo.

Para avaliações de média ponderada da jornada de trabalho, considerando a escala de tempo que um trabalhador possa estar exposto a uma determinada substância, as escalas variáveis dos tubos colorimétricos atendem a necessidade do usuário, determinando quantas avaliações quiser durante a jornada, e os intervalos de tempo, nos momentos mais ou menos críticos.

A discussão em torno da utilização dos tubos colorimétricos, serve para demonstrar que a busca por resultados tanto nas avaliações ambientais quanto de exposição ocupacional, quando comparados aos limites internacionais TWA e STEL, representa de fato metodologia eficaz.

Exemplo: Cloro - TWA de 0,5 ppm e STEL 1 ppm. O tubo nº 8La possui escala que vai de 0,5 ppm a 8ppm, podendo demonstrar claramente o limite de exposição ocupacional quando utilizado em um curso da bomba (100 ml), e para valores ainda mais baixos, ou seja, mais restritivos, de 0,1 ppm a 0,5 ppm, conforme descrito pela própria carta informativa do tubo que acompanha a caixa, com o mesmo tubo nº 8La, basta utilizar dois cursos da bomba (200 ml), e o tempo de resposta de reação na escala será de 2 a 5 minutos.

Portanto o uso de tubos colorimétricos é altamente indicado, e dependendo da estratégia adotada pelo avaliador, por meio de tratamento estatístico, haja vista que os tubos colorimétricos conferem resultados instantâneos, os resultados alcançados são reais e com baixíssimo grau de incerteza.

Embasamento

Os limites de tolerância estipulados pela citada ACGIH são definidos pelos TLV´s (Threshold Limit Values), os quais referem-se às concentrações das substâncias químicas dispersas no ar e representam condições às quais, acredita-se, que a maioria dos trabalhadores possa estar exposta, repetidamente, dia após dia, durante toda uma vida de trabalho, sem sofrer efeitos adversos à saúde.

Diferentemente da Norma Brasileira Regulamentadora NR 15, a ACGIH é revisada anualmente considerando a evolução de pesquisas e mudanças de aplicação, dinâmica e comportamento das diversas substâncias químicas existentes, e suas interações.

Tipos de Limites de Tolerância da ACGIH:

TWA - Visa proteger o trabalhador contra efeitos crônicos, ou seja, efeitos de longa duração, cuja concentração é mensurada pela média ponderada da jornada de trabalho de 8 horas diárias, ou nas 40 horas de trabalho semanais. O limite TWA não pode ser ultrapassado ao fim da jornada.

STEL - Visa proteger o trabalhador contra efeitos agudos, ou seja, efeitos de curta duração, evitando acidentes, intoxicações momentâneas, irritações instantâneas, prevenindo efeitos tipo narcoses, dose dependentes, lesões tissulares. A média ponderada considerada de 15 minutos, que não pode ser ultrapassado em nenhum momento da jornada.

Precisão e Exatidão dos Tubos Colorimétricos

Muitos estudos serviram ao longo do tempo, desde a década de 30 do século passado, vieram de encontro para desmistificar que o uso de tubos colorimétricos não era vantajoso. Muito se ouvia que os tubos não atingiam índices de precisão e exatidão eficientes, haja vista que quando surgiram, obtinham aplicação específica em operações de empresas de mineração, geralmente para analisar a presença e concentração de gás carbônico e dióxido de carbono.

Porém o tempo passou, a tecnologia avançou, e atualmente mais de quinhentas (500) substâncias podem ser analisadas/detectadas com uso de tubos colorimétricos GASTEC.

Cada lote de produção de tubo é testado e calibrado de forma independente, garantindo a alta precisão.

A normativa brasileira prevê desde 1978, em seu item 6., da NR 15 do MTE, que a avaliação das concentrações dos agentes químicos devem ser através de métodos de amostragem instantânea, leitura direta ou não, devendo ser feita pelo menos em dez (10) amostragens de cada ponto, ao nível respiratório do trabalhador, com intervalo de vinte minutos (20') entre cada avaliação.

Antigamente conforme convenção do comitê da NIOSH, era considerada margem de incerteza de leitura nas avaliações com tubos colorimétricos, entre vinte e vinte e cinco por cento (20-25%), apesar de na época, já possuírem precisão de cinco até dez porcento (5-10%) dependendo do agente.

Aliás, além de terem sido reduzidas drasticamente as incertezas, para dez a doze por cento (10-12%), há de se considerar condições de temperatura ambiental, umidade, pressão e arraste do ar, podendo assim, a margem de incerteza, decair para até 0,1 %.

Abaixo representação de precisão e exatidão em medidas experimentais.


 (fonte: adaptado de Silva Neto 2012)

Aplicações dos Tubos Colorimétricos

A proposta do uso dos tubos colorimétricos, apesar de existirem alguns modelos capazes de realizarem amostragem de TWA, ou seja, para uso ao longo da jornada de 8h de trabalho, onde os tubos são posicionados na zona respiratória do trabalhador, e portanto produzem o resultado esperado, a grande maioria dos tubos colorimétricos é utilizada para amostragens rápidas, como fotografias instantâneas da exposição do determinado agente químico.

Existem ainda os tubos colorimétricos qualitativos, os quais demonstram se um determinado agente químico, ou mais de um agente estão presentes no ambiente.

Os tubos colorimétricos podem utilizados para análise da concentração de agentes ambientais, controle de qualidade do ar, ou em linhas de processo.

E podem ser utilizados em diversas finalidades, com métodos a serem definidos:

- Monitoramento e controle de tratamento de água e efluentes;

- Laboratórios em geral;

- Materiais de ensino em escolas primárias e secundárias;

- Detecção de vazamento de gases e vapores;

- Controle de segurança ocupacional;

- Controle de segurança ambiental;

- Combate a incêndios;

- Transporte de substâncias químicas;

- Obras de construção civil;

- Controle de qualidade do ar residencial e edificações onde há concentração
  de público;

- Amostragem de substâncias perigosas;

- Contaminação de solo e água, etc.

 

  TUBOS ESPECIAIS